A configuração espacial urbana como subsídio para diagnósticos em planos de mobilidade

  • André Souza Silva UNISINOS
  • Izabele Colusso UNISINOS
Palavras-chave: Planejamento Urbano, Mobilidade Urbana, Sistema Configuracional Urbano

Resumo

Desenvolver procedimentos e critérios de modo a contribuir para a elaboração e revisão de planos de mobilidade tendo por base instrumentos fundamentados em conceitos e teorias do sistema configuracional urbano é o objetivo desta pesquisa. Neste sentido, propõe-se que os planos de mobilidade podem utilizar conceitos e teorias dos estudos configuracionais urbanos em consonância com variáveis sociais, culturais, ambientais, econômicas e políticas. Em termos metodológicos, será analisado como alguns instrumentos fundamentados nos estudos configuracionais urbanos podem aprimorar significativamente as reflexões e tomadas de decisão por parte dos planejadores e gestores urbanos. A instância empírica é estabelecida em Sapucaia do Sul-RS em razão do significado e importância desta cidade no contexto da região Metropolitana de Porto Alegre. Os resultados obtidos possibilitam compreender e relacionar a lógica socioepacial da articulação entre os níveis de acessibilidade urbana do sistema configuracional das áreas de centralidade com os critérios e prioridades das políticas públicas de intervenção do plano diretor da cidade em termos de mobilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Souza Silva, UNISINOS

Arquiteto e Urbanista; Doutor em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS, RS). Editor do periódico arquiteturarevista. Publica artigos e palestra sobre a temática urbana em periódicos e congressos especializados. Atua na área da modelagem, mensuração e simulação da configuração espacial urbana e análise do espaço aberto público.

Izabele Colusso, UNISINOS

Arquiteta e Urbanista pela Universidade Federal de Santa Maria (RS). Doutora em Planejamento Urbano e Regional pela UFRGS. Coordenadora e docente do curso de Arquitetura e Urbanismo da UNISINOS e coordenadora da Especialização em CIDADES - Gestão Estratégica do Território Urbano. Professora do Mestrado Profissional em Arquitetura e Urbanismo da UNISINOS. Responsável técnica pela Plural Consultoria em Planejamento Territorial, onde elabora Planos Diretores, Planos de Habitação Social e Planos de Mobilidade.

Referências

BRASIL. Estatuto da Cidade. Estatuto da cidade: Lei Federal n. 10.257, de 10 julho de 2001.
DESYLLAS, J., DUXBURY, E. Axial maps and visibility graph analysis: a comparison of their methodology and use in models of urban pedestrian movement. London: Intelligent Space. Paper nº 27. (pp.: 1 – 13). 2000. Disponível em http://www.intelligentspace.com/news/publications.htm. Acessado em 10/03/2019.
FIGUEIREDO, L. C. Linhas de continuidade no sistema axial. Orientação Luis do Eirado Amorim. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano. Recife. 2004.
GEHL, J. Life between buildings: using public space New York. New York: Van Nostrand Reinhold Company. 1987.
HILLIER, B., HANSON, J. The social logic of space. Cambridge: Cambridge University Press. 1984.
KRAFTA, R. A study of intra-urban configurational development in Porto Alegre – Brasil. Tese de Doutorado. Churchill College. Department of Architecture. University of Cambridge. Cambridge: [s.n]. 1992.
_________. Urban convergence: morphology and attraction. In: TIMMERRMANS, H. (Ed.). Decision support systems in Urban Planning. Eindhoven: E & FN SPON. (pp.: 107 – 124). 1997.
_________. Morfologia e infraestrutura urbana. Porto Alegre: [ARQ. 02213. Módulo de Morfologia Urbana UFRGS – Departamento de Urbanismo]. 2002.
PENN, A; HILLIER, B; BANISTER, D; XU, J. Configurational modelling of urban movement networks. In: Environment and Planning B: Planning and Design, v. 25, London: Pion. (pp.: 59 - 84). 1998.
PDM. Plano Diretor Municipal. Lei Municipal 2896/2006, de 11 de Outubro de 2006. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a1/plano-diretor-sapucaia-do-sul-rs. Acessado em: 02 mai. 2019.
PNMU. Política Nacional de Mobilidade Urbana. Lei 12587/12 | Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12587.htm. Acessado 15 abr. 2019.
SABOYA, Renato. Urbanidades: Urbanismo, planejamento urbano e planos diretores. Disponível em: <http://urbanidades.arq.br/>. Acessado em 19 jul 2019.
*Suprimida a autoria
VASCONCELLOS, E. A. Transporte urbano, espaço e equidade: análise das políticas públicas. São Paulo: Netpress. 1998.
WRI Brasil. SETE PASSOS - Como construir um plano de mobilidade urbana. 2017. Disponível em: https://wribrasil.org.br/sites/default/files/Sete%20Passos%20-%20Como%20construir%20um%20Plano%20de%20Mobilidade%20Urbana_jan18.pdf. Acessado em 19 jul 2019.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
Souza Silva, A., & Colusso, I. (2020). A configuração espacial urbana como subsídio para diagnósticos em planos de mobilidade. arq.Urb, 27. https://doi.org/10.37916/arq.urb.v27i.410
Seção
Artigos