Projetos em waterfronts na era do empresariamento urbano: o caso do Porto Maravilha e da gentrificação da zona portuária carioca

Palavras-chave: Projetos Urbanos, Rio de Janeiro, Frentes d’água

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir as relações entre o conceito de empresariamento e os projetos que se propõem a renovar as frentes d’água das cidades contemporâneas. Divide-se o texto em duas partes centrais: (1) enfoca as transformações procedentes da reestruturação capitalista e os vínculos desse processo com a origem, o conceito e a evolução histórica de projetos urbanos em waterfronts; e (2) analisa o caso do projeto Porto Maravilha, discutindo suas relações com a exposição teórica, mas focalizando os reflexos de gentrificação sobre a zona portuária carioca. Essa investigação apontou, sobretudo, que os resultados almejados pela intervenção urbana não alcançaram fins socialmente congruentes, tornando as populações vulnerabilizadas desse território, direta ou indiretamente, as mais afetadas pelo projeto. A experiência carioca serve, deste modo, para apontar elementos cruciais que devem ser analisados em intervenções desse porte nas cidades, destacando, fundamentalmente, a inserção social e urbana de populações preexistentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Oliveira, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Arquiteto e Urbanista (Universidade Presbiteriana Mackenzie SP, 2011-2016), Mestre em Gestão Urban pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PPGTU, 2018-2020). Projetos de pesquisa e temas de interesse: Gestão Urbana; Planejamento urbano e regional; Grandes Projetos Urbanos; Áreas Pós-Industriais; Brownfields; Cidade Pós-Industrial.

Referências

ABRAHÃO, Cinthia M.; GANDARA, José M. Sobre desarrollo y turismo en procesos de intervención en waterfronts: Los casos de las ciudades brasileñas Recife y Rio de Janeiro. Estudios y perspectivas en turismo, Buenos Aires, v. 23, n. 2, p. 207-232, 2014.

ALVIM, Angélica B.; COSTA, Rodrigo R.; ALVES, Karina D. Projetos urbanos em frentes d’água. Diretrizes e o potencial de transformação das orlas fluviais na cidade contemporânea. Arquitextos, São Paulo, ano 19, n. 222.01, nov. 2018. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/19.222/7170. Acesso em 10 de jul. 2020.

BUSQUETS, Joan. Los Waterfront de nuevo una prioridad urbanística. Medi-terrâneo, Lisboa, v. 10, n. 11, 1997.

BARTOLY, Flávio. Debates e perspectivas do lugar na geogra-fia. GEOgraphia, Rio de Janeiro, v. 13, n. 26, p. 66-91, 2011.

BARREIRA, Marcos. Cidade Olímpica: sobre o nexo entre reestruturação urbana e violência na cidade do Rio de Janeiro. In: Brito, F.; Oliveira, P.R. (Orgs). Até o último homem. São Paulo: Boitempo, p.129-168, 2013.

COSTA, Rodrigo R. Projetos urbanos em Frentes d’água: limites e desafios ambientais: o arco Tietê em São Paulo. Dissertação de Mestrado em Arquite-tura e Urbanismo, Universidade Presbiteriana Mackenzie São Paulo, 2014.

CUNHA JUNIOR, Moisés F. Intervenções urbanas em Waterfronts: produção e apropriação do espaço público contemporâneo: o caso do projeto Porto Novo Recife – PE. Dissertação de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo, Programa de pós-graduação UFPB, 2018.

DEL RIO, Vicente. Voltando as origens: a revitalização de áreas portuárias nos centros urbanos. Arquitextos, São Paulo, ano 15, n. 015.06, ago. 2001. Dis-ponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/02.015/859. Acesso em 15 de jul. 2020.

DIAS, Robson S.; NETO, Romeu. Uma análise das transformações espaciais decorrentes da passagem do regime fordista para os regimes flexíveis de acumulação. Vértices, Rio de Janeiro, v.6, n.2, p. 9-38, 2010.

GONÇALVES, Rafael S. Porto Maravilha, renovação urbana e o uso da noção de risco: uma confluência perversa no morro da Providência. Libertas, Juiz de Fora, v. 13, n.2, p.175-207, 2013.

GUTTERES, Anelise dos Santos. O rumor e o terror na construção de territó-rios de vulnerabilidade na zona portuária do Rio de Janeiro. Mana, Rio de Ja-neiro, v. 22, n.1, p. 179-209, 2016.

HARVEY, David. Do gerenciamento ao empresariamento: a transformação da administração urbana no capitalismo tardio. Espaço e debates, São Paulo, v.16, n.39, p.48-64, 1996.

HALL, Peter. Cidades do amanhã: uma história intelectual do planejamento e dos projetos urbanos no século XX. São Paulo: Perspectiva, 2007.

LIPIETZ, Alain. Le tribut foncier urbain. Paris: François Maspero, 1974.

LUNGO, Mario; SMOLKA, Martin O. Land Value and large urban projects: The Latin American experience. Land Lines, Cambridge, v.17, n.1, p.3-6, 2005.

MARQUES, Paulo M. M. P. S. Transformações de frentes de água na cidade pós-industrial: o caso do HafenCity em Hamburgo. Dissertação de Mestrado integrado em Arquitetura apresentada à Faculdade de ciências e tecnologia da Universidade de Coimbra, 2018.

NASCIMENTO, Bruno P. Gentrificação na Zona Portuária do Rio de Janeiro: Deslocamentos Habitacionais e Hiper Precificação da Terra Urbana. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, v.1, n.41, p. 45-64, 2019.

OLIVEIRA, Alberto. Os grandes projetos urbanos como estratégia de cresci-mento econômico. EURE, Santiago, v. 39, n.117, p.147-163, 2013.

PONTES, Maria A.; GARCÍA-MARÍN, Ramon; MORENO-MUÑOZ, Daniel. Tu-rismo, producción inmobiliaria y procesos espaciales: la difusión del modelo turístico español hacia Brasil. EURE, Santiago, v.46, n.137, p.135-156, 2020.

RODRIGUES, Nathália Mota. Remoções no Morro da Providência: o modelo hegemônico de modernização e a produção de um novo espaço. In: Encon-tro Regional de História da Anpuh-Rio: Saberes e Práticas Científicas, Rio de Janeiro, 2014.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SOUZA, Marcelo L. Fobópole: o medo generalizado e a militarização da questão urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

SCHNEIDER, Luiz C. Lugar e não-lugar: espaços da complexidade. Ágora, Santa Cruz do Sul, v.17, n.1, p.65-74, 2015.

SMITH, Neil. A gentrificação generalizada: de uma anomalia local à “regenera-ção” urbana como estratégia urbana global." De volta à cidade: dos processos de gentrificação às políticas de “revitalização” dos centros urbanos. São Paulo: Annablume , São Paulo. p. 59-87, 2006.

TALESNIK, Daniel; GUTIÉRREZ, Alejandro. Transformaciones de frentes de agua: la forma urbana como producto estándar. EURE, Santiago, v.28, n.84, p.21-31, 2002.

VALENTE, Julia L. O Rio de Janeiro no Urbanismo Militar e Empresarial. Revis-ta Continentes, Rio de Janeiro, v. 10, p.7-26, 2017.

ZALUAR, Alba. Dilemas, desafios e problemas da UPP no Rio de Janeiro. In: XII Annual Internacional Conference of the Brazilian Studies Association (BRASA), Londres, 2014.

Publicado
2021-04-07
Como Citar
Oliveira, A. (2021). Projetos em waterfronts na era do empresariamento urbano: o caso do Porto Maravilha e da gentrificação da zona portuária carioca. arq.Urb, (30), 72-85. https://doi.org/10.37916/arq.urb.vi30.469
Seção
Artigos