Conforto Térmico nas Edificações: Materiais e Técnicas Construtivas. Um estudo comparativo entre a cidade de Ouro Preto - Brasil e Porto - Portugal

  • Maria Cláudia Lima da Cruz FASA
Palavras-chave: Arquitetura, Edifício, Conforto Ambiental

Resumo

O presente trabalho tem a intenção de tratar as questões relacionadas aos estudos de conforto ambiental, analisando o comportamento térmico das edificações no sentido de estudar soluções arquitetônicas através do uso de técnicas construtivas e materiais que propõem minimizar o desconforto térmico no ambiente construído. A pesquisa tem como objetivo identificar e analisar a presença de calor ou frio, desconforto térmico nas edificações e localizar as possíveis características construtivas que são responsáveis por estes fenômenos. Para um melhor entendimento do assunto foram feitos estudos comparativos de conforto térmico relacionado com as edificações e seus materiais componentes entre a cidade de Ouro Preto – Minas Gerais – Brasil e Porto – Portugal, edifícios escolhidos pela importância histórica nos dois países e considerados bens do patrimônio da humanidade. Dentro desse contexto foi realizada uma revisão bibliográfica de diversos trabalhos sobre a arquitetura local e os recursos naturais de conforto ambiental buscando conhecer e relatar a importância da utilização correta dos materiais e das técnicas como uma estratégia eficiente na busca do conforto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cláudia Lima da Cruz, FASA

Graduada em Arquitetura e Urbanismo na Pontifícia Universidade Católica (MG). Pós-Graduações: Conforto e Edificações Sustentáveis na Universidade Gama Filho (RJ); Engenharia de Segurança do Trabalho (Centro Universitário FIPMoc (MG); Master em Arquitetura e Iluminação no Instituto de Pós-Graduação e Graduação (MG); Mestre em Engenharia Civil na Universidade Fernando Pessoa (Porto, Portugal). Docente na Faculdades Santo Agostinho (MG): disciplinas de Conforto Ambiental, de projetos; e na instituição Faculdades Integradas do Norte de Minas (MG), disciplinas de Materiais de Construção e projetos. Atua em projetos residenciais, de interior, comerciais, área de saúde e incêndio.

Referências

BARREIRA, Aníbal. e MOREIRA, Mendes. Rumos da História. Porto: Edições ASA, 2003.
BERALDO, Juliano C. Eficiência energética em edifício: avaliação de uma proposta de regulamento de desempenho térmico para a arquitetura do estado de São Paulo. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
BORBA, Francisco da Silva. Dicionário Unesp do Português contemporáneo. São Paulo: Unesp, 2005. Disponível em: <https://books.google.com.br/books>. Acesso em 24 fev. 2018.
FERNANDES, José Manuel. Arquitetura Portuguesa – Uma Síntese. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2000.
FROTA, Anésia Barros e SCHIFFER, Sueli Ramos. Manual de Conforto Térmico. 5. Ed. São Paulo: Studio Nobel, 2001.
GONÇALVES, Helder. e GRAÇA, João Mariz. Conceitos Bioclimáticos para os edifícios em Portugal. Lisboa: Editora DGGE/IP 3E, 2004.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Portal do IBGE. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/ouro-preto/historico>. Acesso em 18 fev. 2018.
IPMA. Instituto Português do Mar e da Atmosfera. Disponível em: <https://www.ipma.pt/pt/oclima/normais.clima/>. Acesso em 20/03/2018.
KEELER, Marian e BURKE, Bill. Fundamentos de Projeto de Edificações Sustentáveis. Porto Alegre: Editora Bookman, 2010.
LAMBERTS, Roberto. Conforto e Stress Térmico. Universidade Ferderal de Santa Catarina 2011.
LEMOS. Carlos Alberto Cerqueira. Arquitetura Brasileira. São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 1979.
MASCARÓ, Luis. Ambiência Urbana – Urban Environment. Porto Alegre: Ed. Afiliada UFRGS, 1996.
MOREIRA, Marina Fernanda Jesus. Reabilitação de Estrutura de Madeira em Edifícios Antigos – Estudo de Caso. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2009.
NBR 15.220. Desempenho Térmico de Edificações, parte 1, 2 e 3. ABNT: Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro, 2005.
PEREIRA, Luís Manuel Pires. Arquitectura portuguesa anos 30-50: atitude e crise de identidade: elementos para a construção de um percurso. Lisboa. Tese de Doutorado, Faculdade de Arquitetura e Artes da Universidade Lusíada de Lisboa, 2011.
PORTO VIVO SRU. Relatório de Monitorização - Gabinete de Monitorização do Plano de Gestão do Centro Histórico do Porto Património Mundial. Porto. Portugal, Sociedade de Reabilitação Urbana, 2011.
PORTO VIVO SRU. Projeto Base de Documento Estratégico para a Unidade de Intervenção São João. Porto. Portugal, Sociedade de Reabilitação Urbana, 2008.
Prefeitura Municipal de Ouro Preto MG (2018). Disponível em: <http://www.ouropreto.mg.gov.br/historia>. Acesso em 20 jan. 2018.
Prefeitura do Porto (2018). Disponível em: <http://www.cm-porto.pt>. Acesso em 20 fev. 2018.
REIS FILHO, Nestor Goulart. Quadro da Arquitetura no Brasil. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1997.
SANTOS, Ricardo. Princípios de desenho e forma na arquitectura portuguesa. O ornamento como elemento de mediação: do plano da fachada para a abertura. Artigo, Workshop de Estudos Medievais da Universidade do Porto, 2013.
VASCONCELOS, Sylvio de. Arquitetura no Brasil: Sistemas Construtivos. Belo Horizonte, Rona Editora, 1979.
WEHLING, Arno; WEHLING, Maria José C. De M. A formação do Brasil Colonial. Rio de Janeiro, Nova Fronteira,1994.
ZARROQUINO, Luís D. Evolução da casa no Brasil. Programa para Análise de Revalidação de Diplomas, Universidade Federal do Rio de Janeiro: 2006.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
Lima da Cruz, M. C. (2020). Conforto Térmico nas Edificações: Materiais e Técnicas Construtivas. Um estudo comparativo entre a cidade de Ouro Preto - Brasil e Porto - Portugal. arq.Urb, 27. https://doi.org/10.37916/arq.urb.v27i.404
Seção
Artigos