A arquitetura franciscana sob o ponto de vista de Germain Bazin

  • Ana Maria Moraes Guzzo UFRJ
Palavras-chave: Patrimônio cultural, Preservação, Restauração

Resumo

Este trabalho versa sobre o contexto histórico do Brasil por ocasião da fundação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN – inicialmente denominado SPHAN, para que se possa tentar entender a denominação dada pelo historiador francês Germain Bazin, aos conventos franciscanos do Nordeste brasileiro: Escola Franciscana do Nordeste. Tal denominação é usada até hoje por vários historiadores, porém pode ser problematizada se levarmos em conta algumas características mencionadas por Bazin como sendo peculiares aos conventos da região citada, já que a literatura nos mostra que essas características aparecem também nos exemplares da região Sudeste. Considerou-se neste artigo também, o desejo da criação e divulgação do nosso patrimônio, no âmbito nacional e internacional, por parte do IPHAN, no momento de sua fundação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Moraes Guzzo, UFRJ

Arquiteta e Urbanista graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991). Mestre em História e Teoria da Arquitetura pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura (PROARQ/FAU–UFRJ, 1999). Doutoranda do PROARQ/FAU–UFRJ (a partir de março de 2016). Trabalhos publicados relacionados à história da arquitetura, principalmente à arquitetura religiosa.

Referências

BAUMGARTEN, Jens; TAVARES, André. O Barroco colonizador: a produção historiográfico-artística no Brasil e suas principais orientações teóricas. Perspective. Actualité en histoire de l’art, n. 2, 2013. Disponível em: <https://journais.openedition.org/perspective/5538>. Acesso em: 14/09/2018.
CALABRE, Lia. O Serviço do Patrimônio Artístico Nacional dentro do contexto da construção das políticas públicas de cultura no Brasil, Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, nº 35, 2017.
CHUVA, Márcia Regina Romeiro. Os Arquitetos da Memória: sociogênese das práticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil (anos 1930-1940). Rio de Janeiro: UFRJ, 2009.
COSTA, Lúcio. Documentação necessária. Revista do patrimônio histórico e artístico nacional, n. 1, 1937.
CUNHA, Cláudia dos Reis e. Restauração: diálogos entre teoria e prática no Brasil nas experiências do IPHAN. Tese (Doutorado em arquitetura e urbanismo) - Faculdade de arquitetura e urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.
GRIECO, Bettina Zellner. Entrevista com Erich Joachim Hess Memórias do patrimônio 3. Rio de Janeiro: IPHAN, 2013.
______. ERICH HESS: fotografia e patrimônio. Fórum Patrimônio: Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável, v. 9, n. 1, 2016.
LIMA, Francisca Helena Barbosa; MELHEM, Mônica Muniz; BRITO E CUNHA, Oscar Henrique Liberal. A fotografia na preservação do patrimônio cultural: uma abordagem preliminar. Cadernos de pesquisa e documentação do IPHAN, v. 4, 2008.
MACHADO, Jurema. Feito em casa: o Iphan e a cooperação internacional para o patrimônio. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, n. 35, 2017.
MELO, Sabrina Fernandes. Robert Chester Smith e os estudos das cidades coloniais. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, v. 10, n. 1, 2018.
MILLEN, Mánya. Por dentro dos acervos - O Brasil de Gautherot, Rio de Janeiro, Instituto Moreira Salles, 12 de junho 2017. Disponível em: <https://ims.com.br/por-dentro-acervos/o-brasil-de-gautherot/>. Acesso em: 12 de dezembro de 2018.
NAKAMUTA, Adriana. Hanna Levy no SPHAN (1946-1948). Arquivos do IPHAN, revista eletrônica de pesquisa e documentação, Rio de Janeiro, dezembro de 2009. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/SerPesDoc5_HannaLevySPHAN_m.pdf>. Acesso em: 23/06/2018.
PEREIRA, Cecilia Ribeiro. Robert Smith, diálogos e pesquisas no Brasil. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, v. 21, n. 28, p. 86-99, 2014. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/Arquiteturaeurbanismo/article/viewFile/P.2316-1752.2014v21n28p86/7851>. Acesso em: 23/06/2018.
PINHEIRO, Maria Lucia Bressan. Trajetória das ideias preservacionistas no Brasil: as décadas de 1920 e 1930. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 35, 2017.
SMITH, Robert Chester. Robert Smith e o Brasil: arquitetura e urbanismo / Robert Chester Smith; organização, Nestor Goulart Reis Filho; tradução Patrícia Zimbres. -- Brasília, DF: Iphan, 2012.
URIBARREN, Maria Sabina. Contatos e intercâmbios americanos no IPHAN: o Setor de Recuperação de Obras de Arte (1947-1976). Tese (Doutorado em Arquitetura e urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
______. Pintores no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional: a preservação dos “bens móveis e integrados” no Brasil entre 1937 e 1976. CAIANA, v. 11, 2017.
______. Germain Bazin e o IPHAN. Revista CPC, v. 13, n. 25 esp, 2018.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
Guzzo, A. M. M. (2020). A arquitetura franciscana sob o ponto de vista de Germain Bazin. arq.Urb, 27. https://doi.org/10.37916/arq.urb.v27i.399
Seção
Artigos