O O labirinto das memórias da antiga Igreja de Santo Alexandre: símbolos integrados e contrastes da dinâmica do patrimônio sacro em Belém do Pará

  • Wagner Ferreira da Costa UFPA
  • Cybelle Salvador Miranda UFPA
Palavras-chave: Patrimônio sacro, Memória Afetiva, Santo Alexandre

Resumo

Na arquitetura sacra cristã, o edifício em si e seus símbolos integrados (altares, púlpitos, mobiliário) constituem a materialização da cultura respeitante ao conjunto de crenças e tradições espirituais que fazem sentido à uma determinada comunidade. Tomando como objeto de análise a antiga Igreja de Santo Alexandre em Belém do Pará, visamos olhar este edifício e seus respectivos bens simbólicos como repositórios e/ou labirintos, nos quais a memória individual de seus frequentadores se ancora, seja pelo fator estético, histórico ou pelo afetivo. Ao longo do tempo, estas referências podem se perder, em razão das novas demandas sociais em que os edifícios históricos passam por processos de refuncionalização, visando substituir sua função de culto pela função museográfica. O caso da antiga Igreja de Santo Alexandre, em Belém Pará, torna-se emblemático para pensar as consequências das ações em que a patrimonizalização sobrepõe-se à patrimonialidade revelam, para a configuração de uma memória coletiva dos habitantes da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Ferreira da Costa, UFPA

Arquiteto e Urbanista formado pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Mestre em Arquitetura e Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU/UFPA), enfoque em linguagem e simbologia arquitetônica sacra. Membro do grupo de pesquisa Arquitetura, Memória e Etnografia do Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural (UFPA).

Cybelle Salvador Miranda, UFPA

Arquiteta e Urbanista, Doutora em Antropologia pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (UFPA), coordena o Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural (LAMEMO), na Universidade Federal do Pará e lidera o grupo de pesquisa Arquitetura, Memória e Etnografia.

Referências

Referências:
ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1992.
ASSMANN, Aleida. A gramática da memória coletiva. In: Humboldt 86, Bonn, Goethe-Institut Inter Nationes, 2003. p. 2-4.
BAUDRILLARD, Jean. O Sistema dos Objetos. 5. Ed. São Paulo: Perspectiva, 1988.
BAZIN, Germain. A Arquitetura Religiosa Barroca no Brasil- Volume 1. Rio de Janeiro. Editora, Record, 1956.
BOGÉA, Marta; ALMEIDA, E. Esquecer para preservar. Arqtexto, UFRGS, v 15, 181- 209, 2009.
CASSIRER, Ernst. Linguagem e mito. 2ª ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1985.
CHOAY, Françoise. A Alegoria do Patrimônio. Lisboa: Edições 70, 2000.
DERENJI, Jussara da Silveira. Igrejas, palácios e palacetes de Belém. Brasília, DF: Iphan / Programa Monumenta, 2009. (Roteiros do Patrimônio; 6)
GEERTZ, Clifford. Arte como sistema cultural In: O saber local - novos ensaios em Antropologia Interpretativa. Petrópolis: Vozes, 2013.
GONÇALVES, José Reginaldo Santos. Os limites do patrimônio In: LIMA FILHO, Manuel Ferreira, ECKERT, Cornelia & BELTRÃO, Jane (orgs.). Antropologia e patrimônio cultural: diálogos e desafios contemporâneos. Blumenau. ABA, Nova Letra, 2007.
INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIOINAL (IPHAN). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/mg/pagina/detalhes/1299. Acesso em: 10 mai 2019.
LE GOFF, Jacques. Documento/monumento In: História e memória. 5. ed. Campinas, SP: UNICAMP, 2003.
MATEUS, João Mascarenhas. A questão da tradição. História da construção e preservação do patrimônio arquitetônico. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção. Campinas: UNICAMP, vol3 n4, abril 2013, p.27-32.
MIRANDA, Cybelle Salvador. Cidade Velha e Feliz Lusitânia: cenários do Patrimônio cultural em Belém. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Universidade Federal do Pará, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2006.
MIRANDA, Cybelle Salvador. Lugares de memória: a profissionalização da cultura e do patrimônio em Belém-PA In: Arte e Cultura na Amazônia: os novos caminhos.1ª ed.Boa Vista: Editora da UFRR, 2012, v.1, p. 61-85.
MIRANDA, Cybelle Salvador. Restauração como tradução: intervenções na Igreja de São João Batista em Belém (1994-1996). Revista CPC (USP), v.15, p.109 - 136, 2012.
MIRANDA, Cybelle Salvador. Ruínas, Duração e Patrimonialidade. Rua (UNICAMP), v.2, p.407 - 424, 2016.
NUNES, Mateus Carvalho. Transdobra: acidente barroco na Igreja Jesuítica de Santo Alexandre Ou Da possibilidade de haver um elemento confluente ao pensamento barroco em uma igreja não-barroca, 2018. Monografia (Graduação em Arquitetura e Urbanismo). Universidade Federal do Pará, Instituto de Tecnologia, Belém, 2018.
PARÁ. Secretaria Executiva de Cultura do Estado. Feliz Lusitânia/ Museu de Arte Sacra. Belém: SECULT, 2005.
POULOT, Dominique. Uma história do patrimônio no Ocidente. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.
RAPOSO, Maria Tereza Resende. O Conceito de Imitação na Pintura Renascentista e Impressionista. Metanoia Revista Eletrônica, São João del-Rei, n. 1, p. 43-50, 1998/1999.
RASMUSSEN, Steen Eiler. Arquitetura Vivenciada. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
RIBEIRO, Rosina Trevisan M. Técnicas construtivas tradicionais: preservação de um saber fazer In: RIBEIRO, Nelson Pôrto (org.). Subsídios para uma história da construção luso-brasileira. Rio de Janeiro: Pod Editora, 2013.
RUBIÓ, Ignasi de Solà-morales. Do contraste à analogia: novos desdobramentos do conceito de intervenção arquitetônica In: NESBITT, Kate (org). Uma nova agenda para a Arquitetura. São Paulo: Cosac Naify, 2008. Françoise. A alegoria do Patrimônio. Lisboa: Edições 70, 2000.
SILVA, Elvan. Matéria, Ideia e Forma: uma definição de Arquitetura. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1994.
Publicado
2020-03-30
Como Citar
Ferreira da Costa, W. ., & Salvador Miranda, C. . (2020). O O labirinto das memórias da antiga Igreja de Santo Alexandre: símbolos integrados e contrastes da dinâmica do patrimônio sacro em Belém do Pará. arq.Urb, 27. https://doi.org/10.37916/arq.urb.v27i.411
Seção
Artigos