A ação direta como mecanismo para enfrentamento da Gentrificação: possibilidades e limites

Palavras-chave: Ativismo Urbano, Coletivos Urbanos, Tecnologia Social, Resistência Simbólica

Resumo

Consideramos as contribuições dos novos ativismos urbanos para a luta antigentrificação em São Paulo, por meio de uma abordagem dupla. Primeiro, analisamos experiências atuantes em áreas vulneráveis à gentrificação, que demonstram o potencial e as dificuldades de resistir através de práticas artísticas alternativas. A seguir, incluímos o potencial latente de coletivos periféricos, que oferecem exemplos metodológicos de tecnologias sociais inclusivas que podem ser adaptadas para outras partes da cidade. A premissa é que ações autogeridas criam espaços de discussão autônomo, ampliando a agenda de luta pelo direito à cidade pela resistência concreta e simbólica. Defendemos que a politização do território coloca em xeque estratégias mercadológicas de incorporação harmônica de comunidades, impondo um movimento de ajuste nas estratégias de legitimação ultraliberais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Carolina Maziviero, Universidade Federal do Paraná

Doutorado em Fundamentos Sociais do Urbanismo e da Urbanização, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.É pesquisadora do Centro de Estudos em Planejamento e Políticas Urbanas CEPPUR, coordenadora do Laboratório de Habitação e Urbanismo da UFPR e do projeto de extensão Formas de Habitar: dimensões do morar e da produção da cidade de Curitiba, em parceria com a Promotoria de Justiça das Comunidades, do Ministério Público do Paraná, MPPR. Também é membro do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural do Município de Curitiba (2019-2021).

Daniela Sandler, Universidade de Minnesota

Doutorado em Estudos Culturais e Visuais pela Universidade de Rochester. É autora do livro, Counterpreservation: Architectural Decay in Berlin since 1989. Seus artigos e resenhas foram publicados nas revistas acadêmicas Third Text, Social Identities, The Journal of the Society of Architectural Historians, e Revista Pós; e também nos livros Third World Modernism, editado por Duanfang Lu (Routledge, 2010) e Memorialisation in Germany since 1945, editado por Bill Niven (Palgrave McMillan, 2009).

Publicado
2020-08-03
Como Citar
Maziviero, M. C. ., & Sandler, D. (2020). A ação direta como mecanismo para enfrentamento da Gentrificação: possibilidades e limites . arq.Urb, (28), 176-200. https://doi.org/10.37916/arq.urb.v28i.424
Seção
Artigos