Direito à cidade para povos indígenas na perspectiva do direito à saúde

uma revisão integrativa

Autores

  • Rodrigo Tobias Fundação Oswaldo Cruz https://orcid.org/0000-0002-4098-5276
  • Fernanda Cabral Cidade Universidade Federal do Amazonas
  • Lupuna Correia Souza Fundação Oswaldo Cruz
  • Mayra Costa Rosa Farias de Lima Costa Rosa Farias de Lima Fundação Oswaldo Cruz https://orcid.org/0000-0002-5137-4470
  • Gercicley Rodrigues dos Santos Fundação Oswaldo Cruz
  • Lígia Menezes da Mata Fundação Oswaldo Cruz

DOI:

https://doi.org/10.37916/arq.urb.vi38.679

Palavras-chave:

saúde indígena, Urbanização, Cidades, povos indígenas

Resumo

A discriminação social e o preconceito estrutural da sociedade frente ao culturalmente diferente são razões radiculares da marginalização dos indígenas nas cidades. Ademais, a busca de informações sistematizadas da literatura científica pode contribuir para recomendar políticas territoriais e de saúde para melhorar o acesso ao direito cidadão indígena nas cidades. O objetivo deste estudo foi analisar a literatura científica que aborde o direito à cidade para povos indígenas citadinos na perspectiva do direito à saúde. Tratou-se de um estudo de revisão integrativa da literatura sobre direito à cidade pelos povos originários no acesso aos serviços de saúde. O método usou a estratégia PICo. Foram realizadas buscas em cinco bases de dados, totalizando 15 artigos. Foi observado que as cidades são determinações sociais internacionais que sustentam estrutura de iniquidade histórica-social e que leva grupos étnicos em vulnerabilização à precariedade das oportunidades sociais e do acesso aos serviços de saúde. Concluímos neste estudo que o direito a cidade na perspectiva do uso dos serviços de saúde por indígenas urbanos é tema de resistência sociocultural e histórico-simbólica, bem como agenda científica de interesse mundial, revelando uma pauta necessária ao desenvolvimento social, humano e mais justo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Tobias, Fundação Oswaldo Cruz

Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia. Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia – LAHPSA, Instituto Leônidas e Maria Deane, FIOCRUZ Amazônia

Fernanda Cabral Cidade, Universidade Federal do Amazonas

Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Amazonas.

Lupuna Correia Souza, Fundação Oswaldo Cruz

Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia. Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia – LAHPSA, Instituto Leônidas e Maria Deane, FIOCRUZ Amazônia

Mayra Costa Rosa Farias de Lima Costa Rosa Farias de Lima, Fundação Oswaldo Cruz

Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia. Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia – LAHPSA, Instituto Leônidas e Maria Deane, FIOCRUZ Amazônia

Gercicley Rodrigues dos Santos, Fundação Oswaldo Cruz

Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, Universidade Federal do Amazonas. Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia – LAHPSA, Instituto Leônidas e Maria Deane, FIOCRUZ Amazônia

Lígia Menezes da Mata, Fundação Oswaldo Cruz

Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia. Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia – LAHPSA, Instituto Leônidas e Maria Deane, FIOCRUZ Amazônia

Referências

ALMEIDA, S. L. Estado, direito e análise materialista do Racismo. In: KASHIURA JUNIOR, C. N.; AKAMINE JUNIOR, O.; MELO, T. (orgs). Para a crítica do Direito: Reflexões sobre teorias e práticas jurídicas. São Paulo: Outras Expressões; Dobra universitário, 2015. P.747-767.

ANDRADE, G. E. Direito à autoidentificação como um direito fundamental: saúde e povos indígenas postos à prova de (r)existência. Res Severa Verum Gaudium, v. 5, n. 2, 2020.

BARBOSA, V. F. B.; CAPONI, S. N. C. D. Direitos humanos, vulnerabilidade e vulneração dos povos indígenas brasileiros no enfrentamento à Covid-19. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 32, n. 2, p. e320203, 2022.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 30 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde indígena: análise da situação de saúde no SasiSUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2019

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. 6ª Conferência Nacional de Saúde Indígena (6 CNSI). 2020. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/ultimas-noticias-cns/1048-6-conferencia-nacional-de-saude-indigena-6-cnsi. Acesso em: 30 jul. 2023.

CARDENES, L.; MONTARDO, D. L. Sobre Cocares e Máscaras: Estratégias das Lideranças Indígenas em Manaus no Enfrentamento à Covid-19. Revista TOMO, [S. l.], n. 38, p. 75–118, 1 jan. 2021.

CEPAL (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe). Os Povos Indígenas na América Latina Avanços na última década e desafios pendentes para a garantia de seus direitos. Santiago – 2015. Disponível em: <https://www.cepal.org/pt-br/publicaciones/37773-os-povos-indigenas-america-latina-avancos-ultima-decada-desafios-pendentes>.

COIMBRA, C. E. J.; SANTOS, R. V. Saúde, minorias e desigualdade: algumas teias de inter-relações, com ênfase nos povos indígenas no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 5, n. 1, p. 125- 132, 2000

CUERVO, M. R. M.; RADKE, M. B.; RIEGEL, E. M. PET-Redes de atenção à saúde indígena: além dos muros da universidade, uma reflexão sobre saberes e práticas em saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, [S. l.], v. 19, n. supl. 1, p. 953–963, dez. 2015.

DIMENSTEIN, M.; SIQUEIRA, K. Urbanização, modos de vida e produção da saúde na cidade. ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade, v. 10, n. 1, p. 61–73, 2020.

EL KADRI, M. R. A. et al. Saúde Mental com os povos indígenas. 2022.

FARIA, I. F.; CASTRO, C. C.; OSOEGAWA, D. K. Povos indígenas: da negação da identidade e do território ao direito originário à terra no Amazonas. Revista Ciência Geográfica, v. 26, n. 2, p. 926-950, 2022.

FREITAS, M. A. et al. Quem são, o que falam e quem escuta os pobres? Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 12, p. 3859–3882, dez. 2017.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2022: indígenas: primeiros resultados do universo. Rio de Janeiro, 2023. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/37565-brasil-tem-1-7-milhao-de-indigenas-e-mais-da-metade-deles-vive-na-amazonia-legal#:~:text=A%20popula%C3%A7%C3%A3o%20ind%C3%ADgena%20do%20pa%C3%ADs,contados%20896.917%20ind%C3%ADgenas%20no%20pa%C3%ADs.

LANGDON, E. J, WIIK, F. B. Antropologia, saúde e doença: uma introdução ao conceito de cultura aplicado às ciências da saúde. Rev Lat Am Enfermagem. 2010; 18(3):459-66.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. 14. ed. Rio de Janeiro: Jorge “Zahar Ed., 2001.

LOCKWOOD, C. Chapter 2: Systematic reviews of qualitative evidence. In: AROMATARIS, E.; MUNN, Z. (Eds.). JBI Manual for Evidence Synthesis. JBI, 2020.

MARQUES, I. L.; GARZON, L. F. N. Indicadores de saúde nas cidades intermediárias amazônicas durante a crise sanitária da Covid-19: sinalizadores de segregação social e injustiça ambiental. Século XXI – Revista de Ciências Sociais, v. 11, n. 2, p. 332–361, 27 set. 2022.

MAZZETI, C. M. S. Estado nutricional dos indígenas Pataxó de 5 aldeias de Minas Gerais, Brasil [dissertação] [Internet]. Belo Horizonte: Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais; 2020.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. D. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto - Enfermagem, v. 17, n. 4, p. 758–764, dez. 2008.

MIRANDA, V. Mulheres Indígenas de Manaus: Construindo Políticas Afirmativas no SUS. Revista Psicologia e Saúde, p. 127–143, 2020.

MOHER, D. et al. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: A recomendação PRISMA. Epidemiologia e Serviços de Saúde, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 335–342, jun. 2015.

NELSON, S. E.; WILSON, K. Rights and health versus rights to health: Bringing Indigenous Peoples’ legal rights into the spaces of health care services. Political Geography, v. 85, p. 102311, mar. 2021.

NETTO, G. F. et al. Por um Movimento Nacional Ecossanitário. In: Grupo de Trabalho Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de pós-graduação em Saúde Coletiva. Caderno de texto 1ª Conferência Nacional de Saúde Ambiental. Brasília: ABRASCO, 2009, p.1-126.

NUNES, E. S. Aldeias urbanas ou cidades indígenas? Reflexões sobre índios e cidades. Espaço Ameríndio, v. 4, n. 1, p. 9, 5 jun. 2010.

OLIVEIRA, F. M. G.; SILVA NETO, M. L. Do direito à cidade ao direito dos lugares. Urbe, Rev Bras Gest Urbana. 2020.

PAULA N. M.; PEREIRA, W.; GIORDANI, R. C. F. A COVID-19 em meio a uma “tempestade perfeita” no capitalismo neoliberal: reflexões críticas sobre seus impactos no Brasil. Ciênc saúde coletiva, v.28, n.3, p.761–70, 2023.

PAGE, M. J. et al. The PRISMA 2020 statement: an updated guideline for reporting systematic reviews. BMJ, [S. l.], p. n71, 29 mar. 2021.

PEREIRA, J. C. M. Indígenas na cidade de Manaus (AM). Novos Cadernos NAEA, v. 23, n. 3, p. 11-31, 2020.

PRIEST, N. et al. Racism and health among urban Aboriginal young people. BMC Public Health, v. 11, n. 1, p. 568, 2011.

SANTOS, F. V. D. Mulheres indígenas contra o vírus: notas antropológicas sobre políticas públicas de saúde e os impactos da Covid-19 entre os povos indígenas em contexto urbano em Manaus, Brasil. Ponto Urbe, n. 27, 28 dez. 2020.

SATERÉ-MAWÉ et al. COPIME: uma história de luta e da autonomia indígena nas políticas públicas. In: TOBIAS, R.; TOLEDO, N. N.; BEZERRA, C. C.; ALVES, R. A. L.; ANDRADE, T. R. C. A saúde indígena nas cidades: redes de atenção, cuidado tradicional e intercultural. 1.ed. - Porto Alegre, RS: Editora Rede UNIDA, p. 62-75, 2023.

SILVA, A. M. Inserção dos Tikuna no tecido social urbano de Manaus. Dissertação de Mestrado. Instituto de Ciências Humanas e Letras, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2013.

SERAFIM, M. C. G.; FRANÇA, E. P. D. C.; NÓBREGA, F. F. B. Processos estruturais e direito à moradia no sul global: contribuições das experiências sul-africana e colombiana. Revista Opinião Jurídica (Fortaleza), [S. l.], v. 19, n. 32, p. 148, 15 jun. 2021.

SANTOS ALBUQUERQUE, M. A. Indígenas na cidade do Rio de Janeiro. Cadernos do Desenvolvimento Fluminense, n. 7, p. 149-168, 2015.

SENESE, L. C.; WILSON, K. Aboriginal urbanization and rights in Canada: examining implications for health. Social science & medicine (1982), v. 91, p. 219–28, ago. 2013.

SCHWEICKARDT, J. C.; EL KADRI, M. R.; LIMA, R. T. S. Atenção Básica na Região Amazônica: saberes e práticas para o fortalecimento do SUS. Porto Alegre: Rede Unida. 2020. p. 301-311.

SPOSITO, E. S. Sobre o conceito de território: um exercício metodológico para a leitura da formação territorial do sudoeste do Paraná. In: RIBAS, A. D.; SPOSITO, E. S.; SAQUET, M. A. Território e Desenvolvimento: diferentes abordagens. Francisco Beltrão: Unioeste, 2004.

TEIXEIRA, P.; MAINBOURG, E. M. T.; BRASIL, M. Migração do povo indígena Sateré-Mawé em dois contextos urbanos distintos na Amazônia. Caderno CRH, v. 22, p. 531-546, 2009.

TOBIAS, R.; TOLEDO, N. N.; BEZERRA, C. C.; ALVES, R. A. L.; ANDRADE, T. R. C. A saúde indígena nas cidades: redes de atenção, cuidado tradicional e intercultural. 1.ed. - Porto Alegre, RS: Editora Rede UNIDA, 2023, 306p.

VIVEIROS DE CASTRO, E. No Brasil, todo mundo é índio, exceto quem não é. In: RICARDO, Beto; RICARDO, Fany (Org.). Povos indígenas no Brasil – 2001/2006. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2006.

Downloads

Publicado

2023-12-15

Como Citar

Tobias, R., Cabral Cidade, F. ., Correia Souza, L. ., Costa Rosa Farias de Lima, M. C. R. F. de L., Rodrigues dos Santos, G. ., & Mata, L. M. da. (2023). Direito à cidade para povos indígenas na perspectiva do direito à saúde: uma revisão integrativa. arq.Urb, (38), 31–41. https://doi.org/10.37916/arq.urb.vi38.679

Edição

Seção

Artigos