Casa: a assimilação cultural do espaço moderno em Belém/PA

Palavras-chave: Arquitetura moderna, Casas, Assimilação, Belém

Resumo

A produção de casas modernas iniciada por engenheiros na cidade de Belém atraiu a elite de comerciantes e profissionais liberais em ascensão econômica, mas também a classe média. A casa se tornou a represen- tação e a legitimação social que disseminou os elementos arquitetôni- cos, estruturais e estéticos nas novas tipologias residenciais construídas. O presente artigo tem como objetivo analisar a assimilação de elemen- tos, soluções espaciais e formas da arquitetura moderna nessas casas, realizada por meio de levantamento físico, fotográfico, bibliográfico e en- trevistas com seus proprietários ou moradores. Identificou-se nos exem- plares estudados, elementos formais e estéticos da arquitetura moderna em uma diversidade de interpretações de seus autores, em função das novas necessidades surgidas e da popularização do uso de certos ma- teriais, como os fragmentos de azulejos, constatando-se a necessidade de ampliar o estudo desses exemplares, para melhor compreender essa outra face da expressão do moderno em Belém.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Augusto de Lima Rodrigues, Universidade Federal do Pará

Mestre em Arquitetura e Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Pará (PPGAU/UFPA, 2019) e graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Pará FAU/UFPA (2010). Membro do DOCOMOMO Brasil e colaborador do Laboratório de Historiografia e Cultura Arquitetônica (LAHCA) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Pará (FAU/UFPA) e do Coletivo "Cultura Arquitetônica, Amazônia e Modernidade" (CAAM), com publicações em eventos nacionais e internacionais.

Celma Chaves, Universidade Federal do Pará

Doutorado em Teoria e História da Arquitetura pela Escola Tècnica Superior d'Arquitectura de Barcelona (ETSAB) da Universitat Politècnica de Catalunya BarcelonaTech (UPC) (2005), Mestrado em tecnologia do Ambiente Construído pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP, 1995). Professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Pará (UFPA); Coordenadora do Laboratório de Historiografia e Cultura Arquitetônica (LAHCA); Líder do Coletivo "Cultura Arquitetônica, Amazônia e Modernidade" (CAAM).

Referências

CANCLINI, Néstor García. Culturas Híbridas - estrategias para entrar e salir de la modernidad. Miguel Hidaldo/Mex: GRIBALDO S.A., 1990.

CHAVES, Celma. Arquitectura en Belém entre 1930 - 1960: Modernización con Len- guajes Cambiantes. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Curso de Arquitec-tura, Uni- versitat Politècnica de Catalunya, Barcelona, 2004.

CHAVES, Celma. Arquitetura, modernização e política entre 1930 e 1945 na ci-dade de Belém. Arquitextos, São Paulo, 094.06, Vitruvius ano 08, mar 2008. Dis-ponível em: . Acesso em: 17 ago. 2016.

CHAVES, Celma. Recepção, particularidades e limites da arquitetura modernis-ta produzida em Belém. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL BRASIL-ARGENTINA-

MÉXICO - 4º Encontro de estudos comparados em Arquitetura e Urbanismo nas Américas - A Circulação das ideias na América Latina: o moderno na Arquitetu-ra e Urbanismo, v. 01. Uberlândia, 2012. Disponível em: <https://lahcablog.files.word- press.com/2017/02/cc3b3pia-de-recepc3a7c3a3o-particularidades-e-limites-da-ar- quiteturamodernista.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2017.

CHAVES, Celma; DIAS, Rebeca. Documentação e Estudo da Arquitetura Resi-den- cial Moderna em Belém (1940-1970). In: SEMINÁRIO DOCOMOMO BRASIL, 11,

abr. 2016, Recife. Disponível em: < http://seminario2016.docomomo.org.br/>. Aces- sado em: 15 abr. 2017.

CONSELHO REGIONAL DE ENGENHERIA E ARGRONOMIA/PA. Centro de Do-

cumentação CREA/PA. Livro de Registro de vistos em Projetos nº 12. Belém, 1963. p.34.

COSTA, Laura Caroline de Carvalho da. Raio que o parta! Assimilações do moder- nismo nos anos 50 e 60 do século XX e seu apagamento em Belém (PA). Disserta- ção (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Ar- quitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.

DIAS, Rebeca. et al. O percurso da modernidade arquitetônica de Camilo Porto de Oliveira: da diversidade à simplificação formal. In: SEMINÁRIO DA AR-QUITE- TURA MODERNA NA AMAZÔNIA, 2. Palmas, 2017. Disponível em: . Acesso: 05 fev. 2018.

GUIMARÃES, Dinah; CAVALCANTI, Lauro. Arquitetura Kitsch: suburbana e rural. Ed.: Paz e Terra. Rio de Janeiro, 3ª ed., 2006.

GORELIK, Adrián. Lo Moderno en debate: Ciudad, modernidad, moderni-zación. Universitas Humanística, Pontificia Universidad Javeriana. Bogotá, n. 56, p. 11-27, jun. 2003. Disponível em: <http://www.redalyc.org/artículo.oa?id=79105602>. Acesso em: 11/04/2017.

LARA, Fernando. Modernismo de Fachada? Considerações sobre a Apropria-ção Popular das Estética Modernista. In.: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA CIDA-DE E DO URBANISMO, v. 7, n.1, Belo Horizonte, 2002. Disponível: . Acesso em: 14 nov. 2016.

LARA, Fernando. Modernismo: Elogio ou Imitação? In.: Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v.12, n. 13, p.171-184, dez. 2005. Disponível: . Acesso em 14/11/2016.

LARA, Fernando. Excepcionalidade do Modernismo Brasileiro. São Paulo: Ro-mano Guerra/ Austin: Nhamerica, 2018.

LOUREIRO, João de Jesus Paes. A Conversão Semiótica na Arte e na Cultura. Belém: EditoraUniversitária/UFPA, 2007.

Publicado
2021-04-07
Como Citar
de Lima Rodrigues, R. A., & Chaves, C. . (2021). Casa: a assimilação cultural do espaço moderno em Belém/PA. arq.Urb, (30), 131-142. https://doi.org/10.37916/arq.urb.vi30.471
Seção
Artigos